Ministro Marcos Pontes quer voar em novo caça da FAB após pandemia

sssssss.jpg

Conhecido por ser o primeiro astronauta brasileiro, Pontes já foi piloto de caça na Força Aérea Brasileira.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, que foi piloto de caça da Força Aérea Brasileira (FAB), disse que vai fazer um voo na nova aeronave de combate, o modelo sueco F-39E Gripen, assim que a situação da pandemia de Covid-19 se amenizar.

Durante a apresentação oficial do modelo nesta sexta-feira (23/10), Pontes disse que estava “sentando na ponta da cadeira” e “com vontade de se levantar” para voar no caça.

“Você imagina como é que eu estava sentado ali, olhando esse avião. Eu estava na ponta da cadeira, querendo levantar”, brincou o ministro.

Pontes chegou a ser convidado para fazer um voo de teste no ano passado, mas disse que não pôde ir à Suécia para a demonstração. O ministro enviou um representante, o chefe da Secretaria de Planejamento, Cooperação, Projetos e Controle, Brigadeiro Antônio Franciscangelis, que também já pilotou aeronaves de combate.

“O fato de podermos ter transferência de tecnologia também auxilia no desenvolvimento aqui no Brasil de outros equipamentos. Então, é um ganho muito grande em todos os sentidos para a Força Aérea”, disse.
Defesa aérea

Os Gripen adquiridos pela FAB têm uma ampla gama de mísseis de curto e longo alcance, guiados por laser, radar ou sistema eletro-óptico para alvos em terra, ar ou água.

Cada aeronave pode levar uma combinação dessas armas e sensores externos para cumprir um variado leque de tarefas que vão desde defesa a reconhecimento aéreo, sem precisar mudar as configurações.

Os caças atingem a velocidade máxima superior a 2,4 mil quilômetros por hora e conseguem voar a uma altitude de 16 mil metros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top